terça-feira, 13 de abril de 2021

Bolsonaro: ‘Quem fechou o comércio não fui eu, não sou ditador’

'Quem deu o poder para Estados e municípios fazerem o que estão fazendo? Inclusive, ignorando a Constituição. Quem foi que deu esse poder?', indagou o presidente

Fábio Matos

Ao conversar com um grupo de simpatizantes que o esperavam na porta do Palácio da Alvorada nesta terça-feira, 13, o presidente Jair Bolsonaro voltou a criticar prefeitos e governadores pelas medidas de restrição à circulação de pessoas e ao funcionamento do comércio, em meio à pandemia de covid-19.

Foto: Alan Santos/PR

Um dos apoiadores de Bolsonaro pediu para o presidente “dar atenção ao Rio de Janeiro”. “O pessoal vem reclamando que acabou o emprego, mas quem fechou o comércio não fui eu”, respondeu Bolsonaro. “Quem te obrigou a ficar em casa não fui eu. Eu faço a minha parte. Impressionante. O pessoal, em vez de dar força a mim, critica. Não sou ditador do Brasil”, completou.

Durante a conversa, Bolsonaro não citou o Supremo Tribunal Federal (STF), mas reclamou da determinação da Corte de que Estados e municípios poderiam tomar medidas restritivas durante a pandemia. “Quem deu o poder para Estados e municípios fazerem o que estão fazendo? Inclusive, ignorando a Constituição. Quem foi que deu esse poder? Não estou criticando nada”, comentou o presidente.

Bolsonaro ainda afirmou que encontrou uma “casa completamente desarrumada” ao tomar posse como presidente da República. “Vão culpar quem pelo desemprego, adivinha?”, ironizou.

Título e Texto: Fábio Matos, revista Oeste, 13-4-2021, 13h05

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não aceitamos/não publicamos comentários anônimos.

Se optar por "Anônimo", escreva o seu nome no final do comentário.

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-