sábado, 4 de setembro de 2021

[Versos de través] Amavisse

Hilda Hilst









Como se te perdesse, assim te quero.
Como se não te visse (favas douradas
Sob um amarelo) assim te apreendo brusco
Inamovível, e te respiro inteiro  


Um arco-íris de ar em águas profundas.

Como se tudo o mais me permitisses,
A mim me fotografo nuns portões de ferro
Ocres, altos, e eu mesma diluída e mínima 
No dissoluto de toda despedida. 

Como se te perdesse nos trens, nas estações 
Ou contornando um círculo de águas 
Removente ave, assim te somo a mim: 
De redes e de anseios inundada.


Título e Texto: Hilda Hilst


Anteriores: 
Tipos de pele 
O Gondoleiro do amor 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não aceitamos/não publicamos comentários anônimos.

Se optar por "Anônimo", escreva o seu nome no final do comentário.

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-