quarta-feira, 11 de janeiro de 2023

Contos loucos dos moucos (LXVIII) – Seu Coelho

Madrugada, 1h40. O telefone toca. Jorge Teixeira Coelho acorda apreensivo.



- Alô?

- Alô? Seu Coelho?

- Sim.

- Pum! Pum! Está morto!

Anteriores: 
(LXVII) – Louco 
(LXVI) – Bora fazer uma coisa? 
(LXV) – Euromilhões 
(LXIV) – Milho bom 
(LXIII) – Telefonema noturno 
(LXII) – Cores (LXI) – O sogro respondeu
(LX) – Carolina
(LVIX) – Achado perdido

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não aceitamos/não publicamos comentários anônimos.

Se optar por "Anônimo", escreva o seu nome no final do comentário.

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-