quinta-feira, 5 de janeiro de 2023

[Foco no fosso] Por falta de datas

Haroldo Barboza

Não bastassem os gastos monumentais com Câmara dos “defuntados”, “sentadores” e “esse-tem-efe”), em torno de (R$) 6 BI, 5 BI e 0,75 BI por ano (*), eis que vamos patrocinar mais 14 “mi(ni)stérios” a partir deste ano. Custo que deve chegar a 100 BI (por baixo) para manter ativas as estruturas quase inúteis que abrigam “doutos” e “aspones” que só trabalham nas eleições, em busca de votos para seus generosos padrinhos (com quem racham seus salários). Claro que os mais hábeis na montagem de “esquemas” ficarão com os melhores cargos.

 (*) = Gazeta do Povo - dez/2022

Dos valores citados acima, mais de 60% são para pagar mordomias dos “doutos” que embromam 3 vezes por semana nos suntuosos palacetes, bolando planos (chamam de “leis”) para novos ganhos e brechas (“atenuantes”) para escapulirem das prisões quando (por ineficácia de algum “aspone”) forem delatados por um investigador que ainda carrega leve resquício de patriotismo.

 Além deste desperdício de investimentos, ainda temos de arcar com o prejuízo dos contratos “licitados” com amigos destes bandos. Perda de recursos que refletem na baixa qualidade da Educação, Saúde, Segurança e outras áreas sociais carentes. Sem que nenhum “amigo ou partidário” vá para a cadeia. E se tal acontecer, ao ser “condenado” na 2ª instância, um juiz “comovido com a injustiça” tratará de emitir documento de soltura.

Para manter o texto curto, só citamos parte da área federal. Faça um exercício rápido, incluindo 27 estados e mais de 5000 municípios e você verá que o “custo-brasil” deve ser quase 20 vezes maior. Isto explica por que quase 50% do que ganhamos trabalhando (e mantendo o país em pé) serve para sustentar a corja que quase nada produz de útil à sociedade.

Claro que existem 30 ou 40 exceções. Mas a mídia pesada nacional é orientada a não dar espaço a estes modelos que usam nossas divisas com eficácia. Tais Prefeitos (além de 2 ou 3 Governadores) jamais serão indicados por seus partidos a concorrerem ao cargo máximo da nação.

Nós, os pagadores destas orgias, infelizmente não sabemos organizar estruturas de combates (faltam líderes de crédito na rede virtual) a estes desmandos e continuamos cortando recursos domésticos para patrocinar as alegrias das quadrilhas das canetas. Nas horas vagas, piorando o “LER” manual, buscamos imagens no WA onde algum(a) artista se “distraiu” exibindo as partes íntimas numa praia “deserta”. Tal “tesouro cultural” recebe milhares de “likes” em menos de uma hora.

Basta que os mandatários promovam algum festejo extra (música e esporte) para que nossa indignação se acomode e continue hipnotizada pelas falácias que anunciam nossa chegada ao 1º mundo em “breve”.

Eles não são tolos de fixarem datas.

Nossa sociedade é um colosso. Sobrevive no fundo do poço.

Título e Texto: Haroldo Barboza, janeiro 2023

Relacionados: 
[Foco no fosso] Despedida 
Não vamos aposentar as renas 
Um trimestre por pleito 
[Foco no fosso - Extra] Vacina para covid-171 
Brasil na de bico 
O APP que nos falta

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não aceitamos/não publicamos comentários anônimos.

Se optar por "Anônimo", escreva o seu nome no final do comentário.

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-