sábado, 6 de março de 2021

A vitória da liberdade sobre o lockdown

Governadora da Dakota do Sul, Kristi Noem, fez um discurso histórico no CPAC 2021. Leia no BSM os principais trechos de sua fala, traduzidos por Roberto Motta

A CPAC – Conservative Political Action Conference – é uma conferência política anual com a presença de ativistas conservadores e mandatários dos Estados Unidos e outros países, organizada pela União Conservadora Americana.

Esse ano a grande estrela da CPAC foi o ex-presidente Donald Trump. Mas o discurso mais impactante e celebrado foi o da governadora Kristi Noem, do estado de Dakota do Sul.

Aqui estão as partes mais importantes, traduzidas por mim:

Estou aqui hoje para compartilhar algumas das lições do meu estado. Acho que a principal questão que precisa ser respondida é: por que os Estados Unidos precisam de conservadores? Ela pode ser respondida mencionando apenas um único ano, e esse ano é 2020.

Todos sabem que, da noite para o dia, passamos de uma economia em expansão para um trágico lockdown nacional. No início de 2020, o presidente Trump havia criado 7 milhões de novos empregos nos EUA. Tivemos a menor taxa de desemprego em mais de meio século, e as taxas de desemprego de negros, hispânicos e asiáticos atingiram os níveis mais baixos da história. Mais de 10 milhões de pessoas foram tiradas da pobreza e da dependência do Estado. Tudo isso mudou em março.

A maioria dos governadores colocou seus estados em lockdown. As consequências foram desemprego recorde, empresas fechadas, a maioria das escolas fechada e sofrimento nas comunidades. A economia dos EUA parou. O Covid não esmagou a economia, quem esmagou a economia foi o governo. E então, com a mesma rapidez, o governo se apresentou como o salvador.

Mas nem todos seguiram esse caminho. Para aqueles que não sabem, Dakota do Sul é o único estado dos EUA que nunca ordenou o fechamento de uma única empresa ou igreja. Nunca instituímos toque de recolher. Nunca obrigamos o uso de máscaras. Nem sequer definimos o que é um negócio essencial, porque não acredito que os governadores tenham autoridade para dizer que seu negócio não é essencial.

As escolas de Dakota do Sul não são diferentes das escolas dos outros lugares da América, mas abordamos a pandemia de maneira diferente. Desde os primeiros dias da pandemia, nossa prioridade eram os alunos, seu bem-estar e sua educação. Quando chegou a hora de voltar para a escola, colocamos nossos filhos na sala de aula. Professores, administradores, pais e os próprios alunos estavam decididos a fazer as coisas funcionarem para nossos filhos, e a melhor maneira de fazer isso era na sala de aula.

Em Dakota do Sul, forneci todas as informações que tínhamos ao nosso povo e, então, confiei que eles tomariam as melhores decisões para si próprios, para suas famílias e, por sua vez, para suas comunidades. Nunca nos concentramos no número de casos. Em vez disso, monitoramos a capacidade dos hospitais. Dr. Fauci [assessor de saúde do presidente] me disse que no meu pior dia eu teria 10.000 pacientes no hospital. Em nosso pior dia, tivemos pouco mais de 600. Agora, não sei se você concorda comigo, mas o Dr. Fauci se engana muito.

Mesmo em uma pandemia, a política de saúde pública precisa levar em consideração o bem-estar econômico e social das pessoas. As necessidades diárias ainda precisam ser atendidas. As pessoas precisam manter um teto sobre suas cabeças. Elas precisam alimentar suas famílias. E elas ainda precisam de propósito. Eles precisam de sua dignidade. Minha administração resistia ao apelo pelo controle de vírus às custas de todo o resto. Analisamos a ciência, os dados e os fatos e, então, adotamos uma abordagem equilibrada. Sinceramente, nunca pensei que as decisões que estava tomando seriam únicas. Achei que haveria mais pessoas que seguiriam os princípios conservadores básicos, mas acho que estava errada. Pergunte a si mesmo: até onde as pessoas irão para obrigar o uso de máscaras? Depois de iniciar os lockdowns, por quanto tempo você pode sustentá-los?

É importante fazer essas perguntas. Temos que mostrar às pessoas como são arbitrárias essas restrições e a coerção, a força e as medidas antiliberdade que os governos tomam para aplicá-las. Frequentemente, a aplicação de medidas não é baseada em fatos. A justificativa dessas medidas tem sido tudo, menos científica.

Agora, muitos na mídia criticaram a abordagem de Dakota do Sul. Eles me rotularam de mal informada, dizendo que eu era imprudente e até mesmo uma negacionista. Alguns até afirmaram que Dakota do Sul era o pior lugar do mundo quando se tratava de Covid-19. Isso é mentira. A mídia fez tudo isso, ao mesmo tempo em que elogiava os governadores que ordenavam lockdowns, que exigiam máscaras e fechavam empresas, aplaudindo-os por terem tomado as medidas certas para mitigar a disseminação do vírus.

Novamente em Dakota do Sul, fizemos as coisas de maneira diferente. Aplicamos o bom senso e os princípios de governo conservadores. Nunca ultrapassamos nossa capacidade hospitalar e nossa economia está crescendo. Temos a menor taxa de desemprego do país. Somos o estado número um do país em manutenção de empregos, negócios abertos e dinheiro no bolso de nosso povo. O povo de Dakota do Sul manteve seus horários e seus salários em uma proporção maior do que os trabalhadores de qualquer outra parte do país. E nossas escolas estão abertas.

Os Estados Unidos precisam de conservadores em nível estadual e local, mas também precisamos de conservadores no mais alto nível de governo federal. Na América, temos governo do, por e para o povo. Nossos fundadores estabeleceram nossa Constituição Nacional, e as pessoas de cada estado elaboraram suas próprias constituições que estabelecem limites específicos para o papel do governo. Esses limites são essenciais para evitar que funcionários do governo pisem nos direitos das pessoas.

As próprias pessoas são as principais responsáveis ​​pela sua saúde e bem-estar. Eles são as únicas a quem foi confiada ampla liberdade, o livre arbítrio para exercer seus direitos de trabalhar, adorar seu Deus e ganhar a vida. Nenhum governador deve ditar ao seu povo quais atividades são oficialmente aprovadas ou não. E nenhum governador deve jamais prender, multar ou penalizar pessoas por exercerem suas liberdades.

Os governadores, os parlamentares e o presidente têm o dever de respeitar os direitos das pessoas que os elegeram, mas parece que hoje os conservadores são os únicos que sabem o que isso significa.

A responsabilidade pessoal é considerada um presente dado por Deus em South Dakota. Responsabilidade pessoal não é um termo que os conservadores abandonaram. Quando estava me preparando para falar com você, deparei com alguns comentários fascinantes feitos em 1962. Ouçam isto:

“A Declaração da Independência Americana, acima de tudo, foi um documento, não de retórica, mas uma decisão ousada. A Declaração desencadeou não apenas uma revolução contra os britânicos, mas uma revolução nos assuntos humanos. Esta doutrina de independência nacional abalou o globo e continua a ser a força mais poderosa em qualquer lugar do mundo hoje”.

Isso é fantástico, certo? Essas são as palavras do presidente democrata John F. Kennedy. É por isso que Ronald Reagan sempre disse: “Eu não saí do Partido Democrata, foi o partido que saiu de mim”.

Houve um tempo em que ambos os partidos políticos se apegavam a certos princípios fundamentais, mas hoje parece que nem mesmo compartilhamos os ideais mais básicos. Os Estados Unidos precisam de pessoas que defendam esses princípios fundamentais. A América precisa de conservadores.

É fácil olhar para 2020 e lembrar de todos os problemas que tivemos com o Covid, mas o Covid é apenas uma peça de um quebra-cabeça muito problemático. Ele certamente nos mostrou quão profunda é realmente a divisão e quão tênue é a barreira entre a liberdade e a tirania.

Devemos mostrar para o mundo que as pessoas prosperam quando o governo é limitado e a engenhosidade e a criatividade das pessoas são liberadas. Devemos também lembrar ao mundo o que acontece quando a tirania e a opressão prosperam.

Atualmente, muitos estão abraçando a China, uma nação que esmaga a liberdade de expressão e religião. A China literalmente coloca as minorias religiosas em campos de internamento. A China respondeu ao vírus da Covid tentando encobri-lo. E uma de suas estratégias de mitigação era fechar as portas das casas com solda para trancar as famílias em suas casas. Amigos da China não são amigos da liberdade.

Não se engane, a liderança da América é necessária no mundo. Então, agora vamos ter uma conversa realmente franca. Todos nesta sala e aqueles que estão ouvindo em casa, eles sabem que a América precisa de líderes agora. Esses líderes precisam de sabedoria. Eles precisam de confiança para defender nossos princípios e vontade de agir. Esses líderes precisam ser conservadores.

Não estamos aqui para lhe dizer como viver sua vida, ou para tratá-lo como uma criança ou um criminoso porque você vai à igreja ou se defende. Os conservadores respeitam as pessoas como indivíduos. Não dividimos as pessoas com base em sua religião, cultura ou cor de pele. Não evitamos pessoas que pensam por si mesmas. E entendemos que cada pessoa é diferente. Cada pessoa, cada pessoa merece a oportunidade de construir sua vida sem que algum burocrata governamental presunçoso diga o que podem ou não podem fazer.

Não temos a mídia do nosso lado. Os conservadores devem ser mais espertos do que os progressistas. Devemos conhecer nossa história. Devemos saber o que funciona e o que não funciona. Devemos refletir sobre as questões. E não se engane, os conservadores existem para lutar pela América e por cada americano.

Deixe-me encerrar com isso. Como conservadores, muitas vezes esquecemos que as histórias são muito mais poderosas do que fatos e estatísticas. Nossas histórias precisam ser contadas. É a única maneira de inspirar e motivar o povo americano a preservar este grande país. Devemos entrar nessa luta pela liberdade com os olhos bem abertos, conhecendo as táticas que os liberais usarão, mas totalmente puros em nossos motivos.

Não se trata de nós. Estamos falando de nossos filhos e do seu futuro. Trata-se da nação que vamos passar para eles. Trata-se de contar e repetir suas histórias, para lembrar por que a América precisa dos conservadores agora mais do que nunca. Então, obrigado por tudo o que você faz. A América é abençoada por ter você ao lado dela. Deus abençoe cada um de vocês e que Deus abençoe os Estados Unidos da América.

Título e Tradução: Roberto Motta, Brasil Sem Medo, 6-3-2021, 11h55

Relacionados: 
Fechamento de quiosques em praias do Rio divide opiniões 
STF mantém autonomia de Estados para adoção de ‘lockdown’ (e o comício de Lewandowski) 
Caio Coppolla ‘traduz’ a carta dos secretários de Saúde
[Atualidade em xeque] A Família Carreteiro 
A União Soviética está bem presente! Em países tidos como democráticos 
Donos de restaurantes protestam na Barra contra decreto da Prefeitura sobre a Covid-19 
Adegão Português de Ipanema fecha as portas 
MPF em Goiás divulga nota em favor do tratamento precoce e da hidroxicloroquina 
Secretário de Saúde do RJ descarta novas medidas restritivas no Estado 
Couvre-feu et contrôle social : le système Macron – JT du jeudi 4 mars 2021 
Quem deve tomar primeiro a vacina contra o vírus chinês? 
Bolsonaro fala em plano contra a covid-19 e cita o STF 
Ensaio do caos 
Garcia: Querem transferir o desgaste da restrição para o governo federal 
Coppolla revela: Pandemia empobreceu o país e enriqueceu Estados e municípios 
Donald Trump makes his first major media appearance at the Conservative Political Action Conference.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não aceitamos/não publicamos comentários anônimos.

Se optar por "Anônimo", escreva o seu nome no final do comentário.

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-