sábado, 17 de abril de 2021

[Aparecido rasga o verbo] CPI – Com abelhas ou sem, um ‘Mel’ necessário

Aparecido Raimundo de Souza 

Objetivos: Além de investigar a gestão do presidente Bolsonaro, a CPI - da Covid 19 tratará de repasses de merdas federais para estados e municipios. 

FINALMENTE, DIANTE DE TANTAS DESGRAÇAS, de uma enxurrada de mortes, um noticia boa, agradável, alvissareira, e bem chegada, vem colocar no rosto de cada um de nós, brasileiros, um sorriso ABERTO e SEM TAMANHO. Vamos tentar explicar este ‘ABERTO’ e ‘SEM TAMANHO’. Falamos de um sorriso ABERTO ou ‘ESCANCARADO’ em um desespero pior que o desmatamento da Amazônia. Mesmo norte, ‘SEM TAMANHO’, ou IMENSURÁVEL, tipo o rompimento da barragem de mineração da Mina Córrego do Feijão, da empresa Vale S.A. Lembram dela?

Recordando, para os que perderam a memória, a Córrego do Feijão ficava situada no município de Brumadinho, no Estado de Minas Gerais, e o infausto ocorrido com esta localidade se deu em 25 de janeiro de 2019. Para as senhoras e os senhores terem uma ideia, o rompimento da Córrego do Feijão se transformou numa ‘Mina’ de grana viva no bolso de uma cambada infindável de larápios que até hoje se beneficiam com o dinheiro desviado e que deveria (deveria) ter ido parar nas mesas daquelas vítimas que perderam tudo, inclusive o feijão que nunca tiveram. 

As CPIs, senhoras e senhores, são necessárias. Servem para mostrar, de forma objetiva e clara, as falcatruas e a falta de responsabilidades de todos ‘os cabeças envolvidos’, cuidando minuciosamente para que eles, os assediados (direta ou indiretamente) fiquem como estão, livres, leves, soltos e sem problemas, e o melhor de tudo, que jamais venha recair sobre os seus costados, qualquer tipo de processo, seja qual for o resultado das apurações.

‘Apuração’, aliás, é uma palavra nojenta, asquerosa, que existe somente para dizer que tem vida própria, e que está lá, no dicionário, só para ocupar lugar. Este, portanto, é o objetivo central de uma CPI. Cagar o Pau dos Incautos, pelejando para que os Coitadinhos Pobres e Infelizes tomem no rabo, com força e larguem de ser bestas e otários. As CPIs também seguem, em sendas paralelas, um objetivo cuidadosamente definido. Não punir ninguém, haja o que houver.

As CPIs estão, portanto, aptas a mascararem as verdades com bastante produtos de beleza e a lutarem ferrenhamente, de unhas e dentes, para que as criaturas envolvidas sigam as suas vidas sem serem importunadas ou molestadas, notadamente se elas tiverem muita grana nos bolsos. As CPIs devem sempre acabar em fartas rodadas de pizzas os mais diversos sabores, evidentemente com distribuição abundante de refrigerantes às escolhas dos flibusteiros que se verem, ou se sentirem constrangidos. Fazemos menção, aqui, em especial, aos malandros que ameam ou guarnecem as partes internas da primorosa ‘panelinha’. Não seria melhor se disséssemos ‘panelaço?!’

Estes calhordas, como é do saber geral, não podem sair de uma CPI, com uma mão na frente e a outra também, tendo ‘a depois’, do que se queixarem. Jamais! Isto seria, caros leitores, um abuso, uma vergonha para um Brazzzzil que, acima de tudo, luta, como uma puta, pela JUSTISSSÇÇÇA (outra vagaba bem despudorada) que preza, de forma ímpar, a sua CONSTI’TUTU’IÇÃO, velando diuturnamente para que ela, a tal da Carta Magna jamais venha, de fato, a FEDERMAL. Antes de falarmos de algumas CPIs, famosas, vamos entender o que esta sigla quer nos dizer.

CPI, para os que não sabem, ou nunca ouviram falar, significa, segundo Agripino e Covas, uma ‘COMISSÃO PARAALIMENAR DE INTERESSES’. Uau! E quais seriam estes interesses? Vamos deixar que as senhoras e os senhores, providos e embasados na mais alta sabedoria e visão geral de tudo o que acontece na política, nos respondam. Vejamos, pois, sem mais delongas, algumas CPIs, começando pela mais recente, a acabada de sair do corno, desculpem, do forno. Sinalizamos a auspiciosa CPI da Pandemia, ou carinhosamente batizada como a CPI DA COVID -19.

Vem, a dita, encabeçada pelos senhores (segundo a leitura do presidente do Cercado, Rodrigo Pauseco, as figuras de Ciro Topeira, Eduardo Picão, Marcos Estério, Jorginho MeloMelado, Educardo Braga, Renan Galheiros, Otto Além-mar, Tomar Azis, Bagasso Jeroisete, Pantolfo Rodrigues e HumbertoFechado Frente da Costa. O nome desta CPI é fantástico, embora fosse mais elegante se alcunhada de CPI DO COVIL-19, ou BBB-21. Não importa, nesta altura do campeonato, o patronímico. Todavia, viria a calhar, em face do momento maravilhoso que vivemos. E por quê BBB - 21?. Porque o Brazzzzil é a Casa da Mãe Joana mais fechada, lacrada e vigiada do planeta.

Certamente esta nova CPI trará muitos e muitos benefícios aos brasileiros, notadamente aos Manés que robustecem as massas compactadas das raias miúdas, ou as primorosas sociedades das vaquinhas de presépio, os paus mandados (grosso modo, os ‘cidadãos comuns’). Entendam, senhoras e senhores, como cidadãos comuns, aqueles noiados que trabalham de domingo a domingo, dão um duro desgraçado para alimentar seus familiares, encaram ônibus batizados erroneamente de ‘sardinhas enlatadas’, enfrentam trânsitos caóticos para, final do mês, receberem um salário merreca, desculpem, um salário digno de reis: o não menos famoso SALÁRIO MÍNIMO.  

Ao contrário de nossos engravatadinhos, os palacianos que peidam e cagam cheiroso, semelhados a ratos de esgotos. Cânceres incuráveis que proliferam nos bueiros do Epicentro Brazzzzilia, vadios que andam para cima e para baixo em carrões importados e blindados, sacripantas que mamam o combustível pago com o nosso dinheiro, os filhos da outra mamãe, ou a Mãe Pátria Cagada, os rebentos que vivem cercados, vinte e quatro horas, por um amontoado de seguranças cheirando seus rabos fedorentos e ainda se dão ao desplante de serem chamados de ‘excelências’.

Outros, mais afoitos, ou os deuses falidos, tipo ministros, senadores, deputados... Tudo isto, senhoras e senhores, acreditem, café pequeno. O que importa, para o Brazzzzil é sair do atoleiro. Ganhar o pináculo do ridículo, galgar a fama incontestável do quadrante mais corrupto do mundo. Daí, a necessidade das CPIs. Gostaríamos de colaborar com algumas sugestões. Aproveitando a deixa de estarmos na era da Pandemia, seria interessante que o senado, a câmara, os ministros, os governadores, usque a ponta escondida do iceberg que os pariu, colocassem, em prática, sem mais delongas, a CPI dos cilindros de oxigênio.

De bom alvitre, a CPI dos kits de entubação, para entubarem as baratas loucas e desvairadas do STF e os almofadinhas dos ministérios existentes. São 24 (24??!!) ao todo, se não nos falha a memória. De pronto, seria vista com clamor uníssono, pela população, uma CPI para cuidar da vida dos ventiladores mecânicos, outra CPI para apurar os enfermeiros e os agentes de saúde, que aplicam vacinas de ventos nos idosos. Paralelamente, seria de tom magnânimo, uma CPI para apurar a fuga das seringas faltosas, e a CPI das ocupações de leitos nos hospitais da rede pública. 

O que os senhores acham de uma CPI para saber qual a função do INSS? Outra CPI necessária: apurar para que serve o SUS? Não seria a hora de se pensar, igualmente, numa CPI para as máscaras e 'fucinheiras' que estão disponíveis no mercado? São tantas as CPIs que não poderíamos deixar de mencionar uma CPI especial, para cuidar dos caixões de defuntos. Pasmem, senhoras e senhores! Está faltando urnas mortuárias. As funerárias estão entrando em colapso. Pela falta de ‘insumos’ para a fabricação de caixões, temos conhecimento de féretros indo para debaixo da terra com três ou mais pessoas na mesma urna. Sem, logicamente, as autoridades responsáveis respeitarem o ‘distanciamento social’ preventivo exigido pela imposição do vírus do genocida Xixi JimPingPong.

Devemos ter em conta, sobretudo, se a coisa continuar neste ritmo, logo estaremos sepultando nossos entes queridos nos quintais de nossas casas, ou no pior dos absurdos, enviando nossos extintos queridos para as mansões ao largo do Lago Paranoá, para servirem de enfeites nas salas ricamente mobiliadas de nossos senadores, nas latrinas dos nossos deputados, nas bundas dos nossos governadores, por que não?... Enfim... A lista das CPIs é tão medonha que chega a ser maior e mais necessária, tanto quanto colocar um final digno e definitivo na Cracolândia, no centro nevrálgico de São Paulo. 

O Brazzzil, caríssimos leitores, se transformou num depósito de cadáveres ambulantes (alguém chegou a ler ‘Incidente em Antares?’) cujas proporções de despojados, nem o persa Beremiz Samir, amigo de Malba Tahan, se fosse chamado, seria capaz de chegar a uma conclusão, ainda que algum califa como o Al-Motacém, ou Eduardo Pupunha lhe oferecessem uma polpuda recompensa, maior até a que lhe foi proposta, quando realizava proezas nos tempos em que se dedicava ao fabuloso ‘Homem que Calculava’. O Homem que calculava, com toda a sua experiência, perderia a voz, o tino, o rebolado, o chão, ao se deparar com os números estratosféricos e galopante dos corpos (ainda bem que sem vida) que enterramos a cada novo dia.

Apesar de tantas vidas sendo perdidas (A Globo do Bonnde e da Renata Vaicomviolãocello que o digam), os nossos dignos 'parlamenjantares' estão preocupados em trazer à baila (agora em repeteco o que já dissemos acima), mais uma bosta de uma CPI, que sabemos, de velhos carnavais, não nos levará à lugar nenhum. Será, sem dúvida alguma mais uma, ou uma a mais, conhecida e batida Comissão, perdão, mais uma Comichão ou 'Começão' para tomar nosso dinheirinho suado e ganhado de forma honesta, dentro de uma ‘onestidade’ mascarada, suja, melecada, com cheiro de porra do PT. Uma ‘onestidade’ que tem de tudo, menos lisura e transparência.

Não sabemos, qual a finalidade dela, a não ser, obviamente, a de engambelar os trouxas que ainda acreditam que o país tem jeito e que está nos trilhos, como um lindo e elegante trem bala, correndo em direção a um futuro não promissor, mas literalmente opressor. Deveras importante e necessária agora, é criarmos uma CPI para vigiar, de perto, a CPI da COVID - 19. No mesmo chute nos ‘culhões’ dos 'colhões', uma outra CPI paralela, para ver o que a ANVISA está aprontando... Antes que a simpática agência deixe o resto da população butantã das ideias ou, ‘mais mau’, com o Fio da Cruz pior que a carregada pelo nosso Cristo Salvador.

Finalmente, deveriam dar vida plena à uma CPI que tentasse achar a grana desviada da saúde, ou mais especificamente aquela ‘baba’ que o governo Bolsonaro enviou para os Estados... Quando tudo isto acabar, os engraçadinhos do Planalto Central deveriam criar, ato contínuo, uma outra CPI mais operosa, mais robusta, mais teimosa, qual seja, a CPI (de preferência comandada por Lula, ou pela Dilma) para colocar, em pratos limpos por qual, ou quais motivos a Petrobras, conhecida nos meios robotizados dos descamisados e desvalidos da sorte, como ‘Petrobosta’ aumentou o gás de cuzinho —, mil perdões —, o gás de cozinha.

Sem mais a ser dito, deixamos aqui uma salva de palmas para o mi’SI’nistro que determinou a criação da CPI da COVID - 19, o ‘inoxidável’ Luiz Fechado Alberto Bubobibebarroso. Em caminho oposto, enquanto isto ou aquilo outro não ocorre, vamos nos dando as mãos e os pés, torcendo para que a boa terrinha descoberta por Cabral nos idos de 1500 (22 de abril está chegando) não se desintegre, de vez, num cabuloso esquife fabricado às pressas, pela China. Senhoras e senhores, VIVA O BRA...ZZZ...ZIL. 

Título e Texto: Aparecido Raimundo de Souza, do Sítio Shangri-La - ES/MG, 17-4-2021

Colunas anteriores: 
Paternidade garantida 
Sempre o tempo... 
Elas são boas assim: nuas e cruas 
O cobrador da geladeira 
E assim, a passos largos, caminhamos para a crucificação encarnada 
Receita rápida 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não aceitamos/não publicamos comentários anônimos.

Se optar por "Anônimo", escreva o seu nome no final do comentário.

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-